segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Não somente ouvintes, mas cumpridores

A Paz e a Graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos. Hoje falaremos de um tema muito importante que é colocar em prática o que aprendemos. Porém isso não é nenhuma novidade para nós, não é? Pois desde pequenos aprendemos tanto em casa, como na escola e em outros lugares, a ouvir o que nos ensinam e a praticar o que estamos aprendendo. E na Palavra de Deus não é diferente. Aprendemos nela, lá no Livro de Tiago, que devemos ser não somente ouvintes, mas praticantes da Palavra e vamos ver porque devemos.

“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era.  Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.”-Tiago 1:22-25

Como podemos ver no texto acima nós realmente devemos ser ouvintes e cumpridores da palavra de Deus para seguirmos a lei perfeita da liberdade (palavra de Deus). O exemplo que Tiago dá para aqueles que são ouvintes e não praticantes da Palavra, é bastante interessante, ele usa a simples e comum pratica de se olhar no espelho e contemplar o rosto, ai você contempla e depois se esquece, e de fato é isso que acontece com os que não praticam a palavra de Deus, eles ouvem e não praticam e assim acabam esquecendo do que lhes foi ensinado.


Já os que ouvem e praticam fazem como os bons alunos na escola, prestam atenção, aprendem e aplicam o que aprenderam e assim são bem sucedidos no que fazem. Sendo assim os que ouvem e praticamvivem a palavra de Deus em sua vida e persevera nela.

O Senhor Jesus também vai dar um exemplo sobre quem pratica suas palavras. Lá no Capitulo 6 do livro de Lucas Ele vai explicar que os que ouvem as palavras dele e praticam são como o homem que edificou a casa sobre a rocha e vieram as “circunstancias” do tempo, mas ele continuou em pé. Já o que ouviu e não praticou edificou a casa sobre a areia e as mesmas circunstâncias do tempo vieram sobre a casa e ela caiu.

“Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: é semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha. Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa. “ – Lucas 6:47-49

Que venhamos a ser semelhantes ao homem que edifica a casa sobre a rocha, que ouve as palavras do Senhor e as pratica. E que possamos a cada dia estarmos firmados no caminho e na vontade do Senhor.

Que a Paz do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja convosco,

De seus irmãos em Cristo,

Jones e Jeison Dias

Fonte: http://leiaabiblia.blog.br

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Como estudar Um Texto Bíblico

Deus usou palavras para comunicar sua vontade aos homens. Ele deu a algumas pessoas a tarefa especial de registrar suas palavras, que nós temos hoje no conjunto de livros que conhecemos como a Bíblia ou as Escrituras. Vivemos numa época privilegiada na qual estes textos transmitidos de Deus aos homens são facilmente acessíveis em qualquer idioma escrito. Quase todos nós temos oportunidades de adquirir uma Bíblia com pouco ou nenhum custo. Uma vez que adquirimos uma Bíblia, o que faremos com ela?

A coisa mais óbvia é ler o conteúdo, e a leitura bíblica deve fazer parte do nosso dia a dia. Mas além da leitura, é importante estudar a Bíblia, procurando entendimento dos livros, analisando a estrutura dos textos, procurando compreender as mensagens comunicadas ao leitor. Neste artigo, vamos focalizar algumas dicas práticas para ajudar no estudo de textos bíblicos. Vamos usar a primeira epístola de Pedro como exemplo, mas as mesmas dicas servem para o estudo de outros livros ou textos menores (capítulos, parágrafos, etc.).

1. Ler o texto várias vezes. Antes de começar a analisar detalhadamente, leia o texto várias vezes. Comece com a Bíblia que você usa no dia a dia. Se tiver acesso a outras versões das Escrituras, leia o mesmo texto nestas outras versões. Pela leitura repetida, você vai se familiarizar com o texto e vai desenvolver uma noção geral dos pontos principais desenvolvidos. Quando se usa várias versões, traduções um pouco diferentes podem esclarecer o sentido de algumas palavras ou expressões difíceis.

2.  Identificar assuntos e palavras chaves. Em cada leitura, você perceberá com mais facilidade as palavras repetidas e os assuntos frisados pelo autor. Em 1 Pedro, perceberá a ênfase na relação de pessoas santificadas com o Senhor, o contraste entre coisas temporárias e coisas eternas, encorajamento para pessoas que sofrem injustiças por causa da sua fé, etc. Ajuda anotar temas e palavras importantes, talvez em um caderno, para facilitar a compreensão das mensagens principais do texto.


3.  Analisar a organização do texto. Agora, entramos na fase de estudar realmente o texto. As etapas anteriores serviam como preparos, mas ainda não entramos no estudo mais detalhado do conteúdo. Na análise da organização, é fundamental prestar atenção na gramática, especialmente na pontuação do texto. Normalmente nós falamos e escrevemos em frases relativamente pequenas, talvez com uma média de menos de 30 palavras cada. Mas muitos textos bíblicos têm frases bem maiores, e não vamos entendê-los se não observar estas frases e sua estrutura. Na maioria dos casos, podemos ver a separação das frases pelos pontos finais (.), pontos de interrogação (?) ou de exclamação (!). A pontuação correta faz parte do trabalho dos tradutores, e geralmente eles tem feito bem nisso. Por esta razão, pode ter variações na pontuação de uma versão para outra, que podem nos dar motivos para pesquisar mais e entender estas diferenças.
É importante notar que as divisões em capítulos e versículos servem principalmente para facilitar a localização dos trechos, e não para mostrar bem a estrutura. Estas convenções são o trabalho de homens para ajudar, não são divisões inspiradas por Deus! Também deve observar que quase todos os subtítulos em negrito foram acrescentados pelos redatores das versões, e não fazem parte do texto original. Podem ajudar a entender a estrutura, mas também podem refletir as tendências teológicas dos redatores.

Olhando para o conteúdo, e não para as divisões dos versículos, poderia analisar a estrutura básica de 1 Pedro capítulo 1 desta forma:

● Saudação (1:1-2)

– Pedro escreveu esta epístola

– Escreveu para servos de Deus espalhados em regiões que ele identifica

● A esperança em Cristo (1:3-12)

– Em Jesus, Deus mostrou a misericórdia para nos dar esperança (1:3-5)

– Pela fé incorruptível, podemos suportar as aflições temporárias (1:6-9)

– Profetas e anjos queriam compreender as coisas que Deus revelou para nós (1:10-12)

● O procedimento de peregrinos santificados (1:13-21)

– Nosso entendimento do plano de Deus é a base da nossa esperança (1:13)

– Os filhos de Deus devem imitar sua santidade (1:14-16)

– Esta vida se baseia no sangue de Cristo, e não nas coisas passageiras deste mundo (1:17-21)

● A palavra permanente e eterna deve nos levar a amar de verdade (1:22-25)

4. Compreender as palavras usadas. Depois de enxergar a estrutura básica do trecho, é preciso compreender este texto. Obviamente, esta compreensão depende do vocabulário usado. Muitas das melhores traduções bíblicas empregam palavras que bem refletem o sentido das palavras originais que traduzem, mas algumas destas palavras não fazem parte do vocabulário cotidiano de muitos de nós. Se você não costuma ouvir e entender palavras como galardão, propiciação e imarcescível, precisará de um dicionário no seu estudo das Escrituras.

Para isso, há várias opções. Na maioria dos casos, um dicionário comum resolverá as dúvidas. Mas precisa lembrar que estes dicionários apresentam os sentidos das palavras no contexto atual, e não necessariamente seu significado no contexto bíblico. Por exemplo, as primeiras duas definições da palavra igreja no dicionário Aurélio Século XXI são “Templo cristão” e “Autoridade eclesiástico”, mas estes sentidos modernos da palavra não representam o seu significado nas Escrituras. No mesmo dicionário, os principais sentidos dados à palavra batismovem das tradições católicas e de usos derivados da palavra, e não do sentido da palavra grega assim traduzida no Novo Testamento. Um dicionário comum ajuda em muitos casos, mas nem sempre!

Para estudantes que querem mais clareza, há dicionários bíblicos que procuram apresentar melhor os sentidos das palavras bíblicas no seu contexto original. Algumas Bíblias incluem pequenos dicionários deste tipo entre os auxílios para o leitor. Alguns destes dicionários se baseiam nos idiomas originais usados para escrever a Bíblia (o Novo Testamento foi escrito no grego, e quase todo o Antigo Testamento, em hebraico). O Dicionário Vine é um bom exemplo deste tipo de auxílio. Alguns dicionários bíblicos são escritos num estilo enciclopédico, ou seja, apresentam artigos de explicação sobre os temas abordados, e não somente definições técnicas das palavras em si.

Estudantes mais avançados podem utilizar ainda outros recursos, como textos gregos e hebraicos e léxicos (um tipo de dicionário das palavras dos idiomas originais). Mas o uso correto destes auxílios exige algum entendimento das línguas originais, entendimento que poucos têm. Estudo dos idiomas usados para escrever a Bíblia pode esclarecer algumas coisas, mas não devemos imaginar que tal conhecimento seja necessário para compreender a vontade de Deus. Com um pouco de esforço, é possível encontrar e compreender traduções que transmitem bem a mensagem das Escrituras.

5. Compreender as frases completas. Quando entendemos todas as palavras numa frase, a compreensão do texto se torna mais fácil. Para entender uma frase, precisamos observar os elementos básicos da gramática (fazemos isso constantemente, mesmo sem saber como identificar por nome a função de cada palavra). É importante observar quem fala e para quem ou sobre o que. Devemos prestar atenção no tempo dos verbos, pois é muito diferente dizer “ela veio” ou “ela virá”.

6. Entender o conjunto de frases. Quando escrevemos, usamos palavras para fazer frases e juntamos algumas frases para fazer parágrafos. Normalmente um parágrafo explica um certo fato, tema ou argumento, juntando vários pedaços de informação. É comum um parágrafo levar a outro, assim desenvolvendo um assunto maior e mais complexo. Às vezes, estes parágrafos são bem organizados e fáceis de seguir. Em outros casos, precisamos ler várias vezes para compreender bem o ponto. Cada escritor tem seu estilo, e alguns são mais fáceis do que outros. Não é diferente na Bíblia. Encontramos alguns trechos bem organizados, e outros onde o autor se desvia de um ponto e insere outro assunto antes de voltar ao ponto original. O Espírito Santo, ao revelar as Escrituras, escolheu autores com características e estilos diferentes para comunicar a sua mensagem a leitores com diversos atributos. São motivos como estes que nos motivam a dedicar as horas necessárias para realmente estudar e buscar entendimento dos textos bíblicos. E cada minuto de estudo cuidadoso será bem investido!

Considere, como exemplo, 1 Pedro 2:11-17. Antes de chegar a este trecho, observamos a ênfase na santidade dos servos de Deus e a posição deles como o povo especial de Deus. Neste trecho, Pedro explica um tema já introduzido em 1:17 – o procedimento do santo povo de Deus durante o tempo aqui nesta vida terrestre. Os cristãos são cidadãos do céu, mas residentes deste mundo, e assim devem se ver como peregrinos e forasteiros. Como deve ser o comportamento destes peregrinos? Nestes versículos, ele responde a esta questão, enfatizando a pureza (2:11), o bom exemplo diante dos outros (2:12), o respeito para com as autoridades governamentais (2:13-14) e o tratamento de todos (2:15-17). Cada frase tem seu lugar no parágrafo, e o parágrafo faz parte do contexto maior da epístola toda.

7. Procurar entender o texto no seu contexto maior. É fundamental entender palavras, frases e parágrafos, mas o estudo não termina aqui. Quase todos os livros da Bíblia tratam de diversos assuntos, e assim os parágrafos se enquadram como partes do todo em cada livro. No exemplo citado acima, ele começou uma parte do livro em 1 Pedro 2:17 quando falou sobre o comportamento dos cristãos no mundo. Os parágrafos subsequentes, porém, continuam com aspectos mais detalhados deste tema, falando sobre o procedimento de servos, esposas, maridos, etc. A relação proposital entre estes trechos se torna evidente pelo uso de palavras como porquanto (2:21), porque (2:25), igualmente (3:1,7), finalmente (3:8), etc.
Ainda há mais um passo importante na consideração do contexto. Além do próprio livro, há outros livros da Bíblia que podem incluir informações relevantes. Quando consideramos as Escrituras como um todo, percebemos a importância de interpretar cada trecho de acordo com o resto da Bíblia. Pedro mesmo comentou sobre este fato quando comparou seus ensinamentos com os de Paulo (2 Pedro 3:15-16). Um trecho complementa o outro e facilita nossa compreensão.

Conclusão
Não é a minha intenção neste pequeno artigo apresentar um curso completo sobre análise de textos bíblicos. Com certeza, outros poderiam acrescentar outras sugestões valiosas. O propósito deste artigo é incentivar o estudo cuidadoso no qual cada leitor busca entender o que Deus tem revelado. Vamos cultivar hábitos de ler, estudar, meditar e aplicar as mensagens das Escrituras!

Fonte: http://leiaabiblia.blog.br

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Está Inquieto? Ore!

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.” Filipenses 4:6

O texto começa dizendo “Não estejais inquietos por COISA ALGUMA;”. Isso é um ponto extremamente importante, conselhos como esse se repetem em vários livros como nos evangelhos e em uma das cartas de Pedro. Devemos compreender que não existe a necessidade de ficar inquieto, ansioso.


O texto continua dizendo “antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.” Ai está o segredo! Devemos colocar TUDO nas mãos de Deus e confiar que a vontade dele será feita. E também devemos ser extremamente gratos sempre pelo que Ele é e pelo que ele faz, pois não somos merecedores de nada.

Confiar em Deus não é fácil, não por que ele não pode cumprir, pelo contrário : Ele pode tudo (Lucas 1:37), mas por quem nós somos. Somos falhos e fracos, temos medo de confiar pois não sabemos qual vai ser a vontade de Deus para nossas vidas. Mas Deus é perfeito, a vontade dEle sempre será a melhor, por isso : “Não estejais inquietos por coisa alguma”.

Orar! Essa deve ser a nossa atitude quando estivermos preocupados, ansiosos, felizes ou tristes com algo. Que a cada dia possamos lembrar que Deus sabe de todas as coisas e que ele tem cuidado de todos nós.

“Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” –  Pedro 5:7-8

A Paz de Cristo seja com todos.

Jeison e Jones Dias.

Fonte: http://leiaabiblia.blog.br

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Divina Inspiração

João 7:38 – “Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.”

Há meses tenho o privilégio de escrever-lhes e compartilhar com os irmãos as bênçãos que me são entregues pelo Espírito de Deus. Durante esses meses, fui surpreendida e enaltecida diversas vezes, através de diversas ocorrências. Pude constatar, como em diversas ocasiões, que o poder de Jesus Cristo age através de nossa fé, e tenho absoluta certeza de que todos os que agem efetivamente através desta tem resultados satisfatórios. Quando permitimos que Deus esvazie nossas almas de egocentrismo, consequentemente somos dominados e preenchidos pela Sua presença. Presença esta que nos faz captar a percepção do quão insignificantes e dependentes somos dEle. Até mesmo para que realizemos esta ação, necessitamos de Sua misericórdia.

O Espírito Santo nos capacita em diversas camadas pessoais que enlaçam a vida espiritual, física, mental, emocional e social. Nós, cristãos, temos um papel fundamental ao Evangelho. Somos interlocutores da mensagem daquEle que criou o Universo. Não que Ele precise de nós em Sua infinita magnificência, mas talvez, dentre inúmeras razões, para que associemos a pregação do Evangelho ao amor ao próximo. A pregação da Mensagem Divina é sinônima de amor, logo, através dela, expressamos amor pelo nosso Deus e aos nossos semelhantes. Mas sabe-se que nem sempre é uma tarefa das mais fáceis. Para falar sério, pode ser que seja um tanto árdua. Vejamos um exemplo: você se encontra numa situação aonde tem a oportunidade de falar sobre Jesus, sobre sua fé, enfim, seu testemunho de vida. Mas repentinamente fogem-lhe as palavras. A insegurança e o medo de reprovação regam-lhe o solo do raciocínio. Aí se encaixa mais uma vez o poder da oração e subsequente, da fé.

Sabemos que cada cristão encontra a forma que lhe apraz para locução do Evangelho principalmente através da oração. E a maneira mais eficaz de falar sobre Jesus é vivendo a Sua Palavra. Vivendo cada lição ensinada, cada palavra bem irrigada, cada ação surpreendente, nos dias de hoje. A realidade é que não temos desculpas para não falar sobre o Evangelho, e vivê-lo é a maneira fundamental para fazê-lo. E para que não caiamos no erro de sentirmo-nos sozinhos em determinada altura, depositemos total confiança no Espírito Santo, na esperança de que Ele nos proverá as atitudes que devemos tomar e as palavras que devemos empregar. Exemplifico até mesmo através deste post que lhes escrevo.


Mediante a Graça de Jesus Cristo, me é permitido contar-lhes mensagens que com Fé provêm do Espírito Santo. Humildemente rogo ao Senhor Jesus pelo que devo destacar nos textos semanais, palavras, ideias, contextos, exemplificações, enfim, tudo quanto me é necessário para escrever um post, entrego nas mãos de Deus, e na presença dEle me achego humildemente para pedir-lhe Seu suporte e total ajuda. Partindo deste exemplo dentre tantos a serem observados na vida de diversos cristãos, chamo a sua atenção, leitor, para confiar no poder que o Espírito Santo de Deus tem para inspirar-nos para que sejamos usados para a propagação de Sua santa mensagem.

Não poucas vezes, focados em nossa natureza humana, julgamo-nos incapazes de pregar o Evangelho. Procuramos e encontramos desculpas ridículas e facetas que podem nos impedir de executar a tarefa pela qual milhares de cristãos foram e são perseguidos! Jesus Cristo garantiu-nos que não precisamos preocuparmo-nos com o que havemos de falar ou dizer. E não precisamos porque o Espírito Santo nos inspiraria!

Mateus 10:19-20 – “Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.”

Louvado seja Deus por este magnífico fato. Realmente, quando nos submetemos à vontade do Espírito Santo, o agir dEle comanda-nos de tal forma que a partir daí já não há mais espaço para vãs preocupações. Jesus Cristo toma as rédeas de nossos espíritos e mentes e realiza grandes obras através de nossa fé no Espírito Santo, ocasionando imensas bênçãos! Glorificado seja Deus por entregar Sua Mensagem de Salvação a seres carnais como nós!

Que a Graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com toda a Igreja. Bendito seja por Sua inspiração e bênçãos sem fim.

A Paz do Senhor!

Esther Moore

Fonte: http://leiaabiblia.blog.br

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Sobre a Glória de Deus

Salmos 16:8-9 – “Tenho posto o SENHOR continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura.”

Estou feliz. Realmente feliz e empolgada. Maravilhada, para ser sincera. O Deus do Universo concede graça, harmonia e paz aos que O servem. Louvado seja Deus, é uma frase que necessita perdurar em nossos lábios.  Agradecimentos a Ele necessitam intercalar cada noite ao dia e cada dia à noite. Motivos para agradecê-Lo é o que sempre teremos de sobra. Viver num mundo assombroso, mas que perto de Sua Glória é nulo, nutre a alma de qualquer ser vivente que entenda o que é o Evangelho. Por outro lado, viver na Terra arquitetada pelas mãos do Criador é uma esplendorosa benção. Poder contemplar a majestade de Deus através dos animais selvagens, das paisagens campestres, da geografia bem ornamentada é de encher a alma de alegria, alegria duradoura.

Dobrar os joelhos todos os dias onde estivermos, sem precauções ou inibições, poder dizer a quem pertencemos, através do Sangue que foi derramado na cruz. Louvado seja pela paz que concede aos seres mais ferrenhos e minúsculos! Sua majestade é admirável. O Criador de tudo transformou-se em homem, de carne e osso, para vir a esta Terra salvar o seu povo! Proclamar os seus poderes me deixam estarrecidamente boquiaberta. Jesus Cristo reina eternamente. Aliás, a Eternidade lhe pertence. Ele É o bendito ‘’Eu sou’’.


Nele nossas almas encontram aonde descansar. Em seu nome depositamos total confiança. Sua benignidade não nos deixa dúvidas: Ele é o Senhor, e é digno de ser. Seus grandes feitos não deixam espaços para subjeções, mas somente para rendições. E eu me rendo hoje e sempre a Ele. Graciosamente enxergo o porquê de Ele ser o meu Salvador. Ou ao menos, uma centelha. Sou inexpressivamente minúscula, não mereço sequer escrever sobre Ele. Que nossos agradecimentos subam ao Céu banhados a completa sinceridade! Que estejamos conectados ao Céu e desconectados do mundo, para que a nossa conexão com o Céu responda por nossas ações neste mundo! Doce e suave é o frescor da presença de Deus. Que ela seja sentida por toda a Igreja hoje e sempre. Que a Sua presença eleve-nos às mais excelsas camadas do Céu! Que a Graça divina permita-nos viver eternamente junto a Cristo! Que o nome de Jesus e sua magnificência sejam sobressaltados na vida de todo e qualquer cristão. Estejamos sempre despretensiosamente dispostos a render-lhe ações de graça. Amemos aos nossos irmãos pelos motivos de Deus!

Vivamos esta vida com o intuito de viver a Eternidade. Coloquemo-nos em nosso lugar humildemente para que Jesus nos enalteça em seu Reino! Amorosamente entreguemos o que de mais precioso temos a Ele, entreguemos nossas almas como a mais singela homenagem ao Senhor dos senhores. Que percorramos esta vida em busca da verdadeira Vida! Mantenhamos nossas mentes interligadas a verdade contida em Sua Palavra! Leiamos a Bíblia a qualquer momento, num ato de amor e longevidade, aprendamos o que é o amor através de cada palavra escrita na carta que O Senhor nos concede. Tenhamos total liberdade para orar entregando-lhe nossos anseios mais profundos, ou desejos excêntricos. Sua vontade é perfeita, Ele próprio É a perfeição. Olhos espirituais ativos em Cristo são o que precisamos, olhemos para Ele, e que não percamos o foco.

Viver a vida cristã – quão esplendoroso manancial! A Sabedoria de Jesus prepara-nos incríveis dádivas que apenas podem ser vistas pelos olhos da Fé. Com certeza, a esperança em Cristo é uma fiel escudeira. Através dela sabemos que a Vida Eterna nos espera. A Vida na qual habitaremos junto ao Mestre, aonde já não haverá limitações físicas de tempo ou espaço. Aproveitemos esta efêmera vida terráquea para fazer o que há de mais saudável para um ser vivente: Louvado, exaltá-Lo e glorificá-Lo. Sua gloriosa face, quão bela e esplêndida… Que  seja vista pelos seus escolhidos! Que a Verdade que se chama Jesus Cristo alcance tantos quanto possível! Deleitemo-nos em Seu poder, majestade e benevolência! Louvado seja Jesus Cristo! Amém.

Esther Moore

Fonte: leiaabiblia.blog.br

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Você já entregou seus planos a Deus?

Nós vivemos de planejamentos. Vivemos querendo controlar nosso futuro, como o que estudar, que carreira seguir, que concurso prestar, com quem se relacionar, entre diversas outras coisas que queremos controlar para atingirmos sucesso pessoal. Colocamos-nos a frente de nossos sonhos e planos porque os consideramos bons para nós.

Tudo parece lindo e dar certo, exceto por um erro significativo que cometemos sem nem perceber: Nós apenas comunicamos a Deus. Isso soa estranho, afinal nós devemos contar a Deus nossos planos. Mas contar a Ele não basta. Precisamos entregar ao Senhor nossos planos, sonhos e vontades. A vontade Dele que deve prevalecer em nossas vidas. Nossos sonhos podem ser bons, mas os planos de Deus são perfeitos. Antes de nascermos Ele já sabia o que precisaríamos e que caminhos deveríamos seguir, só que por muitas vezes nós optamos por seguir nossas próprias direções, tais que não fazem parte do sonho de Deus para nós.

Nós não pedimos a vontade de Deus para nossas vidas porque temos medo de renunciar às nossas vontades. Nós não queremos trocar nossas vontades e certezas por promessas. Pensamos no agora e não em que o Deus que prometeu é fiel para cumprir, nunca falhou e sabe todas as coisas. Isso acontece porque nos tem faltado fé no Deus que nos amou primeiro. Precisamos acreditar no melhor de Deus para nós. Não adianta falarmos ou cantarmos músicas que falem que Deus é tudo, que a vontade Dele é boa para nós, que temos fé ou que O encham de elogios se não vivemos isso. Precisamos viver o que anunciamos.


Quando entregamos nossos sonhos a Deus e renunciamos às nossas vontades o Senhor provê o que nos é necessário. Foi assim com Abraão quando ele abriu mão de seu filho por amor a Deus (gn 32). Devemos sonhar os sonhos de Deus, só assim seremos felizes e completos. Sem dúvida é difícil negar nossas vontades e querer o querer de Deus, mas se faz necessário para que sejamos discípulos Dele. Precisamos aceitá-lo mais do que como nosso salvador. Precisamos Dele como nosso Senhor. O Senhor dos nossos planos, das nossas vontades e dos nossos sonhos. Renunciar não é tarefa fácil. Renunciar dói em curto prazo, mas se faz necessário para que em longo prazo alcancemos a felicidade que Ele nos proporciona e o melhor Dele para nós.

O post de hoje está baseado em um trecho de uma pregação que assisti na ultima sexta feira (19) e que me marcou muito, pois estava muito ansiosa em relação ao meu futuro. Eu criei tantas expectativas e planos para minha vida e os contava a Deus. Eu pedi que Deus abençoasse meus sonhos. Irmãos, eu pude ver que Deus tem o melhor para mim e que devo ter como objetivo os sonhos Dele para minha vida. Entreguei meus sonhos ao Senhor e pedi que fizesse de acordo com a vontade Dele, e já me sinto em paz. Sei que a vontade de Deus é o que eu preciso e tomei a decisão de vivê-la. Oro para que assim com o  Senhor me tocou tão grandiosamente com essa mensagem, atinja também o coração de vocês. Não tenha receios de entregar sua vida nas mãos Dele. Ele tem o melhor para todos nós e a escolha de viver o melhor Dele é nossa.

Que o Senhor lhes abençoe e esteja presente em suas decisões.

Ruane Rodegheri

sábado, 9 de setembro de 2017

Vivendo a Luz de Cristo

“Tirou-os das trevas e sombra da morte; e quebrou as suas prisões.” – Salmos 107:14

Não raras vezes deparamo-nos com a palavra ‘’escuridão’’ na Bíblia. No contexto bíblico, essa palavra pode designar ignorância, pecado, maleficência. A escuridão torna-nos incapazes. Incapazes de raciocinar espiritualmente, de arrependermo-nos de nossos pecados e maus atos. A escuridão pode ser interpretada como tudo aquilo que nos afasta de Deus, que, em conjunto, embaçam-nos a visão de nossas almas causando-nos complicações que se refletem na vida física (sabe-se que muitas doenças físicas são o reflexo de uma vida espiritual turbulenta). Partindo de tal princípio, fica fácil entender porque tantas pessoas precisam de remédios para dormir, bebidas alcoólicas, drogas ilícitas, e tantos outros resultados desta tal escuridão, a qual acomete diversas tragédias diariamente. E, ingenuamente, perguntamo-nos o porquê de acontecimentos tão horripilantes.

Quando estamos na escuridão, sentimo-nos inseguros. Não sabemos aonde pisamos, e no que pisamos. Sabe-se lá aonde tombaríamos? Ou aonde chegaríamos sem poder enxergar nada além do intenso breu. Mas chega de falar da escuridão, não é mesmo? Afinal já a conhecemos bem. Quero dizer, como pecadores, realmente conhecemos. Agora vamos para a parte mais duradoura. Infinitamente mais. Sem comparações… Vamos ao todo, aonde é mais profundo. Refiro-me à oportunidade que temos em Cristo Jesus de vivermos na Luz! Quão enaltecedor a nossas almas é o momento no qual somos convertidos pelo Espírito Santo em seres capazes de ver a Luz de Cristo. Luz a qual podemos designá-la como verdade, salvação, graça, paz. Atributos provenientes de nosso Salvador, Cristo Jesus, O Pai Celestial.

Quando a Luz de Jesus manifesta-se em nossas vidas,  verdade do Senhor capacita-nos a enxergar aquilo que não poderíamos através da escuridão. Uma vez aptos a enxergar através da Luz, percebemos o quão corruptível era o nosso estilo de vida. E então enojamo-nos de tudo aquilo, quando passamos a caminhar de acordo com a solene verdade de Cristo:



“(Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade);” – Efésios 5:9

A Luz ilumina tudo aquilo e então vemos determinadas coisas que já não nos agradam mais: ‘’Não posso ser tão egoísta. ’’ ‘’Este estilo de roupa não é conveniente’’. ‘’Ei, isto não está funcionando de acordo com os padrões bíblicos’’. Mas por favor, isto não significa que imediatamente tornamo-nos incorruptíveis e perfeitos. De maneira alguma.

A vantagem é que agora podemos ver onde está o erro e temos a opção de permitir a correção de Jesus. E quão formosa é esta correção… Poderia dedicar um post a isso. Bem, mas preciso dizer que vivê-la em seu sentido mais amplo realmente vale a pena. Não, não é fácil. Para ninguém… Devemos renegar diversos comportamentos e atitudes. Fazendo-o, pode ser que percamos ‘’amigos’’, e que algumas pessoas afastem-se de nós. Quer saber? A Luz é tão forte que apenas os capacitados por Cristo podem viver através dela.

As pessoas rejeitam a Luz por estarem impregnadas à escuridão, e a ignorância, fruto dela, faz com que acomodemo-nos à mesma:

“E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.” – João 3:19-20

A Luz ilumina tudo e elimina o que não é de bom grado. Isto acontece naturalmente, portanto, não precisamos forçar nada, nem pressionar. Afinal, estamos vivendo em Cristo e descansando nEle. Jesus resgatou-nos do poder mortífero da escuridão. Fomos trazidos à claridade de Cristo, à sua plenitude, para viver de acordo com ela. Até mesmo o fato de sermos pecadores não pode separar-nos do Amor de Deus. Dessa forma, somos instigados a perseverar em nosso objetivo crucial: a Santificação. Através dela, Jesus se refletirá por inteiro em nossas almas, uma vez que quando isto acontecer, estaremos junto a Ele, no Paraíso.

Mas aqui e agora, Jesus lhe oferece a sua verdade, a sua Paz, a sua santidade, a sua Luz, para que você possa compartilhá-la amorosamente com os outros através de sua pregação. Pare por alguns instantes e reflita sobre a grandiosa obra que Deus fez/está fazendo em sua vida. Ele é seu Pai, seu amigo, conselheiro fiel. Ele te concede tudo de que você precisa. Persevere em seu caminho mantendo a Fé nEle, enxergando tudo a partir do expansivo ângulo da Luz.

‘‘… Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado. ’’ – 1 João 1:7

Que a Paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com toda a Igreja, hoje e sempre. Deus os abençoe.

Constantemente grata pela inspiração do Espírito de Deus,

Esther Moore

Fonte: http://leiaabiblia.blog.br